sábado, 5 de fevereiro de 2011

Febre de verão: HEADBAND





A headband promete ser sensação neste verão. Ela volta renovada, com versões mais modernas e descoladinhas daquelas no estilo hippie que foram usadas nos anos 70.
A tiara ganha status de bijou e é interpretada até por joalheiros em versoes de ouro e pedras.As adpetas enumeram as vantagens do acessórios:Colares e brincos,além de ser versatil. Depende do estilo e das circunstancias. Imprime um toque rock,como tambem glamouriza o look basico. Pode ser usado de varias maneiras.Na raizx dos cabelos,no meio da testa,com rabo de cavalo,coque,madeixas lisas ou bem onduladas.










5 comentários:

  1. Jésica
    Isto voltou?
    Eu achava lindo nos anos sessenta, mas nunca usei
    com carinho MOnica

    ResponderExcluir
  2. Oii
    haha, voltou sim!
    Verão ne , é o que há!
    srsrs!
    beijos Monica

    ResponderExcluir
  3. acho essa parada bem estranha

    ResponderExcluir
  4. que pena que não faz mais sábado, 23 de julho de 2011
    Noruega
    Há mais de três décadas, fui viver para a Noruega. Era um dos países mais pacíficos do mundo. Recordo-me de ver o primeiro-ministro percorrer a pé a rua Karl Johan, no caminho para a estação de caminho de ferro e de me cruzar com ministros de bicicleta. Vivia-se em Oslo um sentimento de segurança quase plena.


    O rei da época, Olav V, costumava passear-se de elétrico, como qualquer vulgar cidadão. Um dia, deparei com uma cena deliciosa. Olav V, já nos seus 80 e tal anos, conduzia placidamente um carro pelas ruas da capital, apenas com uma pessoa a seu lado. A certo passo, parou numa passadeira, para deixar passar uma senhora. A meio da travessia, a senhora reconheceu o soberano e faz-lhe uma vénia. O rei retribuiu o gesto e, por uns instantes, ambos repetiram as vénias, numa coreografia de mútuo respeito, recheada de sorrisos.


    Era assim a Noruega, desse final dos anos 70, do século passado.


    A Noruega é, de há muito, um país dedicado à paz. Talvez não por acaso, o respetivo prémio Nobel, contrariamente a todos os outros, é decidido e atribuído em Oslo. Ao longo de muitos anos, os governos noruegueses empenharam-se, em diversas ocasiões e cenários geopolíticos, em operações de paz, sendo também protagonistas, de há muito, de importantes processos de ajuda ao desenvolvimento. E, convém não esquecer, foi em Oslo, e com os noruegueses, que a causa palestiniana deu passos que só não foram decisivos porque Arafat, como alguns diziam, "nunca perdia uma oportunidade para perder uma oportunidade". A diplomacia norueguesa é, de há muito, uma diplomacia de bem.


    Ontem, uma bomba explodiu, causando muitas vítimas, junto à sede do governo norueguês. Ainda não se sabem as causas desta barbaridade. Tudo muda, até a pacífica Noruega.

    Deixo um abraço solidário a todos os meus amigos noruegueses, cidadãos de um país com o qual Portugal tem, desde sempre, excelentes relações, reforçadas pelo generoso apoio dado pela Noruega ao processo de desenvolvimento português, no pós-25 de abril.
    Publicado por Francisco Seixas da Costa às 00:07 1 comentários
    sexta-feira, 22 de julho de 2011


    Read more: http://duas-ou-tres.blogspot.com/#ixzz1SsdgyVMFblogs

    ResponderExcluir
  5. Very intersting! follow each other darling?:X

    FashionSpot.ro

    ResponderExcluir